pgmet-programa-de-pos-graduacao-em-meteorologia
Programa de Pós-Graduação em Meteorologia
instituto-nacional-de-pesquisas-espaciais

Apresentação

O Programa de Pós-Graduação em Meteorologia (PGMET) do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), o mais antigo em meteorologia do Brasil, teve início em 1968 com o Programa de Mestrado e posteriormente em 1974 com o Programa de Doutorado, formando desde então 340 mestres e 172 doutores. A procura pelo programa vem aumentando ao longo dos anos e, em consequência, a oferta de vagas do curso passou de 12, nos anos de 2017 e 2018, para 15 vagas de mestrado e 15 de doutorado, nos anos de 2019 e 2020. Por outro lado, o corpo docente que era composto por 33 doutores e passou a ser composto em 2020 por 24 docentes permanentes, dos quais a maioria com bolsa de produtividade e vários com título de PhD obtidos no exterior, e 4 docentes colaboradores. Os docentes são pesquisadores que atuam nas diferentes áreas de conhecimento específico da Meteorologia. 

O programa da PGMET realiza pesquisas associadas às atribuições das Divisões de Modelagem Numérica do Sistema Terrestre, de Sensores e Satélites Meteorológicos e de Previsão de Tempo e Clima, que compõem o Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC) e estão sob a Coordenação Geral de Ciências da Terra, na nova estrutura organizacional do INPE desde 2020.

O curso iniciou na unidade do INPE de São José dos Campos e hoje tem sua base na unidade de Cachoeira Paulista, interior do Estado de São Paulo. Nesta unidade, os alunos dispõem de salas de aula com videoconferência e outros equipamentos de multimídias, além do acesso a um ambiente de supercomputação, mesas de escritório, biblioteca e alojamento. Os alunos têm a oportunidade de trabalhar suas pesquisas de forma efetiva em ambiente de desenvolvimento e uso operacional de produtos de Previsão Numérica de Tempo e Clima e produtos de monitoramento ambiental a partir de dados de satélite ou radar, contribuindo para sua formação acadêmica e profissional. Dessa forma, o programa contribui fortemente para a formação de profissionais que são absorvidos imediatamente tanto pelo próprio INPE quanto por outras instituições públicas e privadas do país, nas áreas de Meteorologia e Meio Ambiente. Desde bolsistas, pesquisadores, tecnologistas, a chefias de divisão e até coordenador de área, a grande maioria dos servidores da meteorologia do INPE teve parte de sua titulação obtida através desse programa de pós-graduação. 

No mercado de trabalho no Brasil, nota-se uma crescente demanda por recursos humanos altamente qualificados, que produzem resultados e informações que subsidiam os tomadores de decisão em relação ao planejamento das atividades econômicas e sociais do País. Nas últimas décadas, especialmente nos últimos anos, surgiu um reconhecimento mundial do impacto adverso das mudanças climáticas sobre a biosfera terrestre, gerando uma urgência nos para tomar medidas para contê-las e, se possível, revertê-las. Este é um exemplo de resposta do programa às demandas de governo e da sociedade com geração de pesquisa e formação de mestres e de doutores em meteorologia especializados no tema para ajudar a orientar sobre ações relacionadas às variações do clima. 

Anualmente, os alunos do programa organizam o evento científico “Encontro dos Alunos de Pós-Graduação em Meteorologia – EPGMET”. Este evento científico organizado por iniciativa dos discentes do curso tem aumentado o número de participantes a cada ano, aprimorando a qualidade dos trabalhos e das apresentações. Em 2020, o número de inscritos se aproximou de 200, e chegou a sua 19ª Edição, apesar de ter sido realizado de forma remota. 

A qualidade do programa é baseada na qualidade da produção científica, na qualidade do seu corpo docente e na capacidade de conversão da produção científica em aplicações na área. O programa faz parte do PROEX da CAPES com conceito 6 nas avaliações desde 2004, o que vem contribuindo para a melhoria das condições de estudo e trabalho dos alunos e docentes. A partir de 2018, a PGMET participa do Programa Institucional de Internacionalização (CAPES-PrInt), o que tem aumentado os intercâmbios internacionais.
 
O programa possui um Conselho de Curso formado pelo Coordenador acadêmico, 4 membros do corpo docente e 1 representante discente. O ano letivo é formado por três trimestres. São oferecidas cerca de 21 disciplinas entre obrigatórias e optativas. O programa é aberto para alunos de instituições nacionais e internacionais, da área de ciências exatas, através de processo seletivo descrito por Edital público.