ppgcf-programa-de-pos-graduacao-em-ciencia-florestal
PPGCF
PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA FLORESTAL
universidade-federal-dos-vales-do-jequitinhonha-e-mucuri
    UFVJM
  • Rodovia MGT 367 – Km 583, 5000, Departamento de Engenharia Florestal, Alto da Jucuba, Diamantina / MG - CEP: 39.100-000
  • ppgcf@ufvjm.edu.br
  • 38 3532-6810 - Ramal: 6810

Notícias

Apresentação

O Programa de Pós-Graduação em Ciência Florestal (PPGCF) da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM) iniciou em 2010, com o Mestrado após a 110ª reunião do CTC da CAPES, que recomendou o curso. Já o Doutorado iniciou em março de 2015, a partir de sua recomendação na 156ª reunião do CTC (CAPES) em dezembro de 2014. O PPGCF conta com cursos de Mestrado e Doutorado, ambos acadêmicos, na grande área Ciências Agrárias I, área de concentração Recursos Florestais. 

O Programa é sediado no campus JK, Diamantina, um dos 4 campi da UFVJM. A UFVJM é uma universidade relativamente nova, em 2005 foi passou de Faculdades Federais Integradas a Universidade Federal e que teve significativa expansão na última década. Seus campi encontram-se nas mesorregiões: Jequitinhonha (campus Diamantina); Vale do Mucuri (campus Teófilo Otoni), Norte de Minas (Campus Janaúba) e Noroeste de Minas (campus Unaí), o que a torna estratégica para essas mesorregiões no auxílio ao aprimoramento educacional em todos os estágios de formação.

Linhas de pesquisa

Ecologia e Conservação de Ecossistemas Florestais

Estudo multidisciplinar dos diferentes aspectos envolvidos na conservação e restauração dos ecossistemas florestais. Conservação da biodiversidade, para a auto-realização, individual e comunitária e para a auto-gestão política e econômica, por meio de processos educativos que promovam a melhoria do meio ambiente e da qualidade de vida.

Manejo Florestal e Silvicultura

Pesquisas relacionadas à gestão (planejamento, controle e ordenamento) do uso de recursos florestais (florestas eqüiâneas e ineqüiâneas), sendo desenvolvidas e aplicadas técnicas de análise quantitativa nas decisões acerca da composição, da estrutura e da localização de uma floresta, de modo a obter o máximo de benefícios econômicos, sociais e ambientais, conservando-se os mecanismos de sustentação do ecossistema.

Estrutura física

Os laboratórios atuam em diferentes temas da área florestal e atendem tanto à graduação quanto à pós-graduação. Os laboratórios tem papel central na formação dos alunos no PPGCF. Eles permitem aos alunos que coloquem em prática os conhecimentos adquiridos em sala de aula e desenvolvam habilidades essenciais para a pesquisa científica. Por meio de experimentos e análises, os alunos de pós-graduação podem testar hipóteses, validar teorias e obter novos conhecimentos. Eles também podem aprender a utilizar equipamentos e técnicas de pesquisa, desenvolver habilidades de trabalho em equipe e comunicação científica. Os laboratórios são um excelente espaço para networking e interação com outros pesquisadores. Essa experiência é fundamental para o desenvolvimento da carreira acadêmica e profissional.

Os laboratórios que hoje desenvolvem trabalhos juntos ao PPGCF são:

INOVAHERB – Manejo integrado de plantas daninhas e descontaminação ambiental

Criado em 2008, é o resultado da necessidade da consolidação de linhas de pesquisa em Weed Science com ênfase na sustentabilidade de sistemas agrícolas, silvicultura e na recuperação de áreas degradadas, invasão biológica de plantas e fitorremediação. É constituído por recursos humanos de diversas IES parceiras no Brasil e experior, coordenados pela UFVJM. Além da formação qualificada de recursos humanos, o grupo pretende ser referência em pesquisas no manejo integrado de plantas daninhas focando na diminuição do uso de herbicidas, principalmente aqueles de maior efeito residual no solo por meio de uma rede de pesquisas protegida denominada INOVAHERB. As pesquisas foram reconhecidas como de excelência no Estado de Minas Gerais com a concessão, pela FAPEMIG de menção honrosa do Prêmio “Marcos Luiz dos Mares Guia ” de Pesquisa Básica, ao líder José Barbosa dos Santos. 

Silvicultura

A pesquisa e desenvolvimento em silvicultura desempenham um papel vital na busca por práticas sustentáveis e eficientes na gestão de florestas, tanto plantadas quanto nativas. Estas atividades têm como foco principal aprofundar a compreensão das espécies florestais, aprimorar técnicas de plantio e desenvolver estratégias de manejo sustentável. As pesquisas visam compreender e intervir de maneira sustentável nos padrões de crescimento e produção da floresta. Os estudos abordam as condições de solo, clima e fisiologia das espécies, com o objetivo de desenvolver as melhores práticas silviculturais, desde o plantio até a colheita dos produtos, sejam eles madeireiros ou não madeireiros, visando otimizar a produção e maximizar o  rendimento econômico. Tudo isso é realizado com um enfoque central na sustentabilidade ambiental e econômica dos empreendimentos florestais.

Propagação e cultura de tecidos

Projeto vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Ciência Florestal da UFVJM que subsidia pesquisas básicas e aplicadas relativas à propagação de espécies florestais empregando-se conhecimentos avançados de cultura de tecidos, biotecnologia e melhoramento genético florestal. Os trabalhos nesta linha de pesquisa foram subsidiados direta ou indiretamente com recursos financeiros de projetos multidisciplinares. Possui discentes de iniciação científica (PIBIC), mestrado e doutorado em andamento.

Entomologia florestal e controle biológico

O espaço dedicado à pesquisa e desenvolvimento de novas tecnologias para o controle de pragas. A entomologia é a ciência que estuda os insetos, e o controle biológico é o uso de organismos vivos para controlar pragas. O laboratório de entomologia e controle biológico desempenha um papel importante no desenvolvimento sustentável do setor florestal. Ele trabalha para desenvolver alternativas ao uso de pesticidas químicos, que podem ser prejudiciais ao meio ambiente e à saúde humana.

Mensuração e manejo florestal

O Laboratório de Mensuração e Manejo Florestal desenvolve atividades de ensino pesquisa e extensão, nas áreas de: Mensuração e Inventário Florestal; Política e Economia Florestal; Modelagem do Crescimento e Produção; Simulação e Otimização Florestal; Sistema de Informações Geográficas e Geoprocessamento; Manejo de Florestas Plantadas e Nativas,. O Laboratório dá suporte a disciplinas ministradas na Graduação e Pós – Graduação. Tendo parcerias com instituições federais e estaduais, além de empresas. 

Restauração e recuperação de áreas degradadas

Realiza análises químicas, físicas e biológicas relacionadas a solos, substratos e tecidos vegetais; caracterização ambiental do estado de conservação de ambientes naturais e degradados; idealiza e testa novas técnicas de Restauração de Áreas de Degradadas e controle de plantas invasoras; resgate de espécies e topsoil em áreas de mineração.

Herbário Dendrológico Jeanine Felfili

O Herbário Dendrológico Jeanine Felfili (HDJF) constitui um importante centro para formação de discentes de graduação e pós-graduação, bem como pesquisadores de outras instituições. Atuando no armazenamento e preservação de coleções científicas de referência. O acervo é dividido em quatro seções: coleção botânica (composta por amostras desidratadas de plantas – exsicatas); carpoteca (coleção de frutos e sementes); xiloteca (coleção de amostras de madeiras); e arboreto (coleção de plantas vivas). Todo o acervo pode ser acessado de forma remota (online) e presencial pelos usuários. 

MULTIFLOR – Infraestrutura multiusária FINEP

Conta com laboratórios, auditório, espaços coletivos para pesquisa, apoio estrutural para pós-doutores, pesquisadores e discentes envolvidos em trabalhos de pós-graduação.  Os laboratórios do MULTIFLOR:

treelab - Laboratório de ciência de dados florestais

O treelab realiza estudos que envolvem a manipulação, tratamento e processamento de uma grande quantidade de dados com temática florestal. Os dados florestais são diversas fontes incluindo dados de campo, rede de parcelas, imagens de sensoriamento remoto e nuvens tridimensionais. Para realização dos trabalhos, são utilizadas diversas ferramentas como QGIS, R, FUSION, GeoDA, LPSOlve, RSTudio, Anaconda, Shiny, dentre outras. Comumente os problemas envolvem a necessidade de envolver linguagens de programação como Python e R. O grupo apoia dois projetos internacionais: Paisagens Sustentáveis Brasil coordenado pela EMBRAPA e USFS, e AMAZECO coordenador pela Bangor University. O grupo trabalha em parceria com INPE, ESALq/USP, INPA, IFAP, UEAP, University of Cambridge, Swansea University, Bangor University.

TREcol – Laboratório de Ecologia Tropical

O TREcol busca compreender os processos e fatores bióticos e abióticos que elucidem a estrutura da comunidade e de populações de plantas nas diferentes fitofisionomias presentes na Reserva da Biosfera da Serra do Espinhaço e ambientes adjacentes. A compreensão destes fatores possibilita a utilização racional e conservação da rica flora regional. Projeto “guarda chuva” vinculado ao grupo de pesquisa do CNPq: CENTRO DE INVESTIGAÇÕES DA FLORA que congrega pesquisas dos padrões espaciais e temporais de comunidades e populações de espécies da flora no Espinhaço Meridional.

CAFESIN- Centre of Advanced Studies on Ecological Systems and Interactions

O Centre of Advanced Studies on Ecological Systems and Interactions é um laboratório multiusuário de investigação que congrega pesquisadores de diversas universidades brasileiras e do exterior. Os objetivos de investigação incluem desde interações ecológicas relacionadas aos mutualismos e antagonismos, a organização de comunidades biológicas, até modelagem ambientais e interações complexas que envolvam o uso de bens naturais e seu manejo e conservação. As parcerias de pesquisa em andamento no CAFESIN incluem 7 instituições de pesquisa brasileiras e 13 instituições em 11 países.

PHYVE – Phytogeography Vegetation and Ecology 

O PHYVE  procura conhecer, descrever e divulgar a biodiversidade vegetacional de ecossistemas terrestres, em especial os presentes na Reserva da Biosfera da Serra do Espinhaço. Nossos estudos se baseiam na realização de levantamentos da flora para a promoção de comparações fitogeográficas em todos os tipos de ecossistemas, buscando compreender os padrões da distribuição dessa biodiversidade, assim como das funções de suas comunidades, e variações ambientais nas dimensões espaço-temporais. Os projetos vinculam-se ao grupo de pesquisa do CNPq “Centro de Investigações da Flora” (Recursos Florestais e Engenharia Florestal). E possui parcerias com centros de excelência em pesquisa ecológica no Brasil (UFG e Unicamp) por meio do projeto CNPq “Fortalecimento da formação de recursos humanos e produção de conhecimento na Cadeia do Espinhaço”

LandLab – Laboratório de estudos da paisagem

O LandLab realiza estudos por meio do SIG destinados à espacialização e análise do estado da conservação e degradação ambiental de regiões/territórios, uso e ocupação da terra, métricas da paisagem, como suporte a políticas públicas de ordenamento territorial. Projetos vinculam-se ao grupos de pesquisa do CNPq “Núcleo de Estudos e Pesquisa do Zoneamento Ambiental Produtivo” e “Centro de Investigações da Flora”.